Tomie Ohtake, a dama das artes plásticas brasileiras

Traduzir:

Artista deixa legado para todos

Considerada a dama das artes plásticas brasileiras, reconhecida especialmente pelos últimos 50 anos, Tomie Ohtake, artista plástica, que nasceu no Japão em 1.913 e chegou ao Brasil em 1.936, começou a pintar a partir dos 40 anos de idade.

Se naturalizou brasileira, em meados dos anos 1.960 e sua arte, possuia as formas ovais, retangulares, cruciformes, quadradas, além de muitas vezes contemplar uma forma geométrica.

Um dos diferenciais de Tomie, é que a artista participou da cultura desse país e suas obras estão espalhadas nas vias e órgãos públicos, para qualquer pessoa apreciar, independente de sua condição social.

Ao todo, 27 obras da artista estão espalhadas pelas cidades brasileiras e São Paulo conta com boa parte, sendo que várias se tornaram marcos nas regiões que estão instaladas.

Os painéis da Estação Consolação do Metrô, a famosa escultura na expressa Avenida 23 de Maio e a pintura na parede na Ladeira da Memória, são alguns dos trabalhos, da profissional em São Paulo.

As obras de Tomie já estiveram em várias bienais e ao todo a artista recebeu 38 prêmios e a mostra de seu trabalho em 1.983, durante retrospectiva no Museu de Arte de São Paulo (MASP), contou com a presença de público de várias partes do país e do mundo.

O Instituto que leva seu nome, localizado no bairro de Pinheiros, na capital paulista, tem como meta, divulgar, difundir e refletir, forçar o pensamento, através das oficinas culturais, exposições, mostras, publicações, debates, e cursos, posicionando que a arte é para todos, e há qualquer momento.

Tomie faleceu em 12 de fevereiro de 2.015, aos 101 anos, deixando os talentosos filhos Ruy Ohtake (arquiteto) e Ricardo Ohtake (diretor do Instituto).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.